terça-feira, 20 de outubro de 2009

Vou Me Embora...


Na foto palmito fresquinho, dá para fazer lasanha e conserva.

Tô indo embora, e muito triste e angustiante partir ainda mais sem rumo ou destino certo, o fato e que tá dificil pra min morar em Ervália este ano o café foi pouco e não deu um bom preço, a grana ta cuta por essas bandas...
Mas o principal mesmo é a questão pessoal, eu não estou me sentindo valorizado aqui, digo isso como profissional, porque tenho que manter essa estrutura, manter cinco funcionários e a clientela que tenho só está dando para pagar as contas e é muito angustiante trabalhar assim.
Fiz bons e muitos amigos aqui, e eles me perguntam porque vou embora, as vezes fico sem graça de dizer que preciso de mais clientes para manter meu negócio em funcionamento, meu receio e que eles pensem que estou lamentando para que eles venham mais aqui, na pizzaria. Não é isso, é que simplesmente cansei, acho que já fiz tudo o que podia aqui.
Lamento porque tive acesso a certas coisas que num lugar maior como em Juiz de Fora onde eu morava era uma luta para conseguir tomate por exemplo, aqui não tem várias pessoas que plantam, as vezes aproveito o tomate que esta bem maduro é que não vai aguentar chegar nos grandes centros. Outra coisa boa é que aqui tem uma plantação de palmito pupunha, fazemos nossa própria conserva de palmito.
Por essas e outra me dá um aperto no coração ter que ir, mas, depois de muito pensar (e sofrer) tomei a decisão e não vou voltar atrás. Mesmo de coração partido preciso buscar meu espaço nesse mundão de Deus.
P.S: Vou colocando aqui no Blog meu dia-a-dia de mudanças de decisões.

Sobre os Ôns Japaoneses

Os Ôms Japoneses: Ônkotáva? Ônkotô? Ônkovô? Esse é o dilema de todo empreendedor, já detectei que ser empreendedor é ser um ete...