domingo, 26 de setembro de 2010





08 abr 2010
2 comentários 28
tweets
retweetFast Food orgânico

Burgerville, é o nome da rede. Foi fundada em 1961 na cidade de Vancouver por George Propstra, filho de um imigrante Alemão; sempre teve como sua maior preocupação oferecer em seu restaurante alimentos preparados com ingredientes frescos, fornecidos exclusivamente por fornecedores regionais. Hoje, com seus 48 anos de existência, possuiu uma rede com 39 lojas, quase todas no estado do Oregon, mantendo o mesmo posicionamento desde sua crianção: Alimentos frescos, fornecedores locais, negócio sustentável.
A Burgerville nunca deixou de fazer hambúrgueres e alimentos calóricos; mas, sempre fez com um cuidado a mais. Por quê?

1. Os ingredientes utilizados são mais frescos que os dos concorrentes; só trabalham com fornecedores que estejam inseridos dentro de um raio de até 288 quilômetros. Ou seja, são todos de fazendeiros da região, conhecidos, respeitados e amigos.

2. Só utilizam em seus alimentos, ingredientes que sejam obrigatoriamente orgânicos, sem gorduras trans e carnes sem hormônios ou antibióticos.

3. E finalmente; entendem o seu papel no Mundo e na sociedade. Têm um quadro de 1.600 colaboradores que são todas da região, muitas vezes da mesma família. Como só compram de fornecedores locais, fomentam a economia da região. Só utilizam energia limpa e eólica, ou seja, através do vento e garantem a reciclagem de todos os ingredientes utilizados na produção dos seus alimentos.

Ainda limitados no estado do Oregon, conseguem espantar de lá o McDonald’s que não consegue se estabelecer na região.
Fonte: Marketingnacozinha.com.br

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Supermercado Sem Sacolas








Da próxima vês que você for a um supermercado preste atenção em tudo que está a sua volta e veja como cada um daqueles produtos e suas embalagens estarão no lixo dentro de poucos dias.

Isso acontece no mundo todo, com exceção da pequena Unpackageo. Essa loja de Londres não vende nenhuma embalagem junto com seus produtos e os clientes levam suas próprias sacolas e compartimentos para carregar todos os itens comprados. É tudo a granel!

Na Unpackaged, que existe desde 2006 em um lugar onde antes havia uma antiga mercearia, todos os produtos são vendidos a granel, sem absolutamente nenhum tipo de embalagem e o consumidor é o responsável por levar as compras da forma mais eficiente para casa.

São verduras, frutas, legumes, condimentos, azeite, grãos, produtos de limpeza. higiene pessoal, biscoitos, cafés e outra infinidade de produtos vendidos da forma como vieram ao mundo, ou seja, sem plástico, isopor, alumínio nem nenhum outro material envolvendo-os.

A maioria dos produtos é orgânica, produzidos localmente e vendida através de comércio justo, com o apoio de cooperativas e redes sociais. Sacolas reutilizáveis, potes e caixas são responsáveis por embalar tudo isso e levar para casa do consumidor.

A dona do estabelecimento, Catherine Conway, diz já ter visto de tudo na loja. "temos um amigo adorável que gosta de levar lentilhas em garrafas vazias de água",diz. Tuppaware, sacolas de papel, sacos de plástico a vácuo, garrafas de vidro e até carrinho de bebe são utilizados para levar as mercadorias.

Caso o cliente se esqueça de levar alguma dessas opções, a loja dispõe de uma embalagem reaproveitável que deverá ser devolvida na próxima visita.


fonte: Marketingnacozinha.com.br

Isto de vender a granel está proibido no Brasil, os supermercados só podem vender as mercadorias já embaladas, quer dizer um "tiro no pé" dessa tão louvável iniciativa.
Onde moro o que falta é consciência de salvar o planeta, afinal as pessoas pensam que morando no interior o que acontece lá fora no Mundo vai custar a chegar aqui, como se morássemos em um planeta a parte.
Outro dia veio um cara aqui, morador de uma cidade média e questionou minha pizzaria, achou feio as madeiras de eucalipto e as madeiras de demolição que decoram a pizzaria e que perguntou porque eu não fiz uma pizzaria mais "arrumada" futuramente vou construir a minha casa com essas madeiras... fazer o que, ...