quarta-feira, 11 de maio de 2011

Cavalgada

Sou meio travado para escrever, sei lá fico sem jeito de falar de min, de passar a impressão de um certo narcisismo ou de presunção, talvez de até uma certa arrogância. No Blog idéias de fim de semana a autora Anna Terra fala com tanta naturalidade da vida dela, das coisas dela que está me inspirando a falar mais de min.
Gostaria de compartilhar com voçês uma das coisas que mais gosto de fazer cavalgar. Morei em Juiz de Fora por longos 16 anos, até me mudar para Ervália, uma cidade perto de Viçosa MG. tinha anos, a última vez que andei a cavalo foi na minha infância e fazia um certo tempo (uns trezentos anos... hehehhe) que não andava.Fui convidado para uma cavalgada, eu iria fazer o churrasco esperando os cavalheiros em um sítio. Na volta com "um monte de cerveja na cabeça" resolvi voltar a cavalo, tinha anos que não montava arrumaram pra min a égua mais trotona do Mundo! Fui socando até chegar na cidade, uns dez Km somente... Foi aquela "risaianda" me elegeram presidente do clube dos cavaleiros, que clube? O que esta sendo feito agora responderam. No mês seguinte fui convidado novamente, mas como ir sem montaria? Sendo certíssimo o ditado que diz que São Jorge não anda a pé recorri a minha mulher que é nativa de Ervália para arrumar minha montaria. Vai no Marquinho e pega cavalo com ele... mas como se nunca vi o cara, Gi. Vai lá que ele te arruma respondeu.(O Marquinho tem uma casa que é um sítio dentro da cidade um lugar bacana com vacas e cavalos coisa de cidade pequena e hospitaleira) o cara nunca tinha me visto, arrumou um cavalo, não cobrou nada, super bacana, gente boa, ficou mais um amigo na vida.
Depois foi só alegria, todo mês com cavalgada, as mulheres iam na frente com as crianças (não a cavalo mas de carro e esperavam a gente num sítio onde era o ponto de chegada), lá o responsável pela cavalgada do mês tinha que providenciar os comes e bebes. A volta era quase sempre nas noites de lua cheia. Uma maravilha, principalmente para quem morou tanto tempo em apartamento, sem tempo nem para curtir as coisas simples e importantes da vida, como uma simples e maravilhosa lua cheia.
Foi quando surgiu a Cavalgada em Torno da Serra do BrigadeiroO nosso grupo é frequentador assíduo, fomos em três edições das seis que ouveram. Adoro, passo o ano todo esperando pela próxima Cavalgada do Entorno. Para quem não sabe (eu não sabia) Os únicos parques estaduais de Minas que permitem entrada a cavalo são o Cipó e a Serra do Brigadeiro. O intuito desta cavalgada é divulgar o Parque da Serra do Brigadeiro Este ano foram 254 participantes entre cavaleiros e amazonas, fora o pessoal de apoio. Uma festa só. Além das belezas naturais da região, o diferencial é o povo da região que é hospitaleiro e o principal gosta de receber gente de fora.

Galera de Ervália

Trilhas
Amigos de Belo Horizonte da esquerda pra direita: Ronaldo, Eu, Altair, Jackson.


Almoço
No Topo das Gerais...

Tem que ter buteco... afinal ninguém é de ferro...
Algumas fotos das paisagens e da "Galera"!
O site do organizador: Cavalgada Aldeia da Vida

O que faço com tantas palavras?
Onde eu me vejo diante de todas essas palavras?
Por onde passo na rua, na Web, em casa nos livros, vejo tantas palavras, eu me vejo nesta enxurrada de letras, sinais que são como letras.
Neste caudaloso rio de sinais
com ou sem sentido
Sou levado não sei pra onde num mar de palavras, sem dó nem piedade e fico náufrago-refém de Letras!

Sobre os Ôns Japaoneses

Os Ôms Japoneses: Ônkotáva? Ônkotô? Ônkovô? Esse é o dilema de todo empreendedor, já detectei que ser empreendedor é ser um ete...