domingo, 24 de abril de 2011

Mercearia das Antigas

Muito legal este vídeo que achei em: amenidadesdodesign.blogspot.com

um exemplo perfeito de sustentabilidade. Moro em uma cidade que é muito menor que Itabirito mas que nao tem mais dessas vendas pode ser que na zona rural ainda se acha mas na área urbana chegou o "tal do progresso" ficando relegado a cafonice este tipo de comércio. Uma pena... Atraso pra min é gente que nunca se preocupa com o outro. Este vídeo nos mostra como estes comerciantes uniram negócio e cidadania.


Itabirito fica no caminho quando vou a Belo Horizonte com certeza irei ver pessoalmente a Mercearia Paraopeba

quinta-feira, 21 de abril de 2011

A Elegância do Comportamento

Adaptado de Toulouse-Lautrec por Carlos Augusto Roveri*

Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja cada vez mais rara: a elegância do comportamento.É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que abrange bem mais do que dizer um simples ‘obrigado’ diante de uma gentileza. É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando não há festa alguma nem fotógrafos por perto. É uma elegância desobrigada.

É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam. Nas pessoas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.

É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigir a frentistas, por exemplo. Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

É possível detectá-la em pessoas pontuais.

Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece, é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete e, ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte antes quem está falando e só depois manda dizer se está ou não está.

Oferecer flores é sempre elegante. É elegante não ficar espaçoso demais.

É elegante você fazer algo por alguém, e este alguém jamais saber o que você teve que se arrebentar para o fazer… porém, é elegante reconhecer o esforço, a amizade e as qualidades dos outros.

É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro. É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais. É elegante retribuir carinho e solidariedade.

É elegante o silêncio, diante de uma rejeição…

Sobrenome, jóias e nariz empinado não substituem a elegância do gesto. Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante. É elegante a gentileza.

Atitudes gentis falam mais que mil imagens… Abrir a porta para alguém é muito elegante… Dar o lugar para alguém sentar… é muito elegante… Sorrir, sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma… Oferecer ajuda… é muito elegante… Olhar nos olhos, ao conversar é essencialmente elegante…

Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural pela observação, mas tentar imitá-la é improdutivo. A saída é desenvolver em si mesmo a arte de conviver, que independe de status social: Se os amigos não merecem uma certa cordialidade, os desafetos é que não irão desfrutá-la.

* Carlos Augusto Roveri é Administrador de Empresas pela FAAP (1977). Adaptação de trecho do livro “Educação Enferruja por Falta de Uso” do pintor pós-impressionista francês Toulouse-Lautrec (1864-1901).


www.cura te.blogspot.com

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Será Maldição?


Li ontem no Jornal Estado de Minas que os restos mortais de três inconfidentes serão depositados no museu da Inconfidência em Ouro Preto. Muito interessante e muito bonito, o que me surpeende será a cerimônia com altas doses de autoridades (dizem que até a Presidente virá). Essa cerimônia esta marcada para o dia 21 de abril na cidade histórica de Ouro Preto.
Adoro Ouro Preto, toda vez que vou para Belo horizonte dou uma passadinha lá, mas, acho a cidade muito triste, sinto uma tristeza no ar que eu acho que foram os imensos sacrificios que a população teve que passar para que a coroa portuguesa tivesse o seu precioso ouro. Depois de quase três séculos, montam esse circo com o resto mortais dos inconfidentes, e os restos mortais destes Mártires estão com certeza revirando dentro da urna ao voltar para o lugar que tem a maior carga tributária do Brasil. Naquela época eles estavam questionando o quinto (20%) do ouro extraido, e hoje? Só o imposto de renda 27%. ICMS 18%, ISS, IPVA, TAXAS, etc, etc...
Fico imaginando no melhor estilo de ficção cientifica se nossos cientistas resolvesem ressucitar nossos inconfidentes, com certeza eles sairiam correndo, com a certeza que esta nossa Gerais está amaldiçoada.  E a cara de pau dos políticos? Se os restos mortais dos ditos pudessem dizer não diriam implorariam para ficarem na África...

Sobre os Ôns Japaoneses

Os Ôms Japoneses: Ônkotáva? Ônkotô? Ônkovô? Esse é o dilema de todo empreendedor, já detectei que ser empreendedor é ser um ete...