terça-feira, 8 de maio de 2012

Tudo Rústico









Curso de Bio Construções

Fiz em Viçosa Minas um curso que adorei e pretendo aplicar na minha casa e na minha pizzaria. Um curso que resgata técnicas antigas de construção como Adobe, Pau-a-pique, reboco com barro, tintas de solo. O curso é muito bom e recomendo para todos que queiram ser a mudança no mundo. Algumas fotos:










Temperando a Sustentabilidade



Tem pessoas que falam que somos loucos e bobos ao mesmo tempo por insistir em acreditar em nossas idéias. Quando resolvo fazer tempero ao invés de comprar um que vem de longe, algumas pessoas ficam me questionando sobre o trabalho que dá, na perda de tempo que é fazer certas coisas afinal, basta ir ao mercado e comprar, por que perder tempo em fazer?
Não penso assim se quero ter uma empresa sustentável tenho que lutar por pequenas coisas que no final para min será uma grande diferença. E as pessoas pensam que tudo tem que ser grandioso para se fazer diferença. E não é bem assim, com pequenos gestos, que vão se somando no final temos um grande resultado.
Foi assim que colhi um pouco de urucum para fazer coloral, não sei se voçê sabe mas esse tempero mineiro feito de sementes vermelhas evita que o frango ao cozinhar fique com aquele aspecto branquelo que eu particularmente detesto. Em outras regiões eles chamam de colorífico.
Voltando a questão do tempo eu gosto de fazer meus temperos, gosto de debulhar, retirar as sementes, sobrar na peneira para retirar as casquinhas, esquentar no óleo para retirar todo o vermelho das tais sementinhas, sinto uma paz, sei lá o que mais fazendo isso. Tem também o fato de padronizar o sabor (para melhor é claro) me dá uma tranquilidade

Desinformação




Fico esperando a segunda feira para comprar o jornal Estado de Minas com o suplemento de agricultura. Quero falar para voçês que minha paixão pelo campo e avassaladora e que um dos meus sonhos e produzir alimentos.
Por coincidência das mais felizes eu cursei o curso já aclamado de Homeopatia na universidade de Viçosa curso que é referencia para a América Latina.Entrei no curso achando que era de homeopatia de humanos e o curso era mais completo abrangia homeopatia de águas, solos, animais, plantas e também o ser humano, por isso a feliz coincidência.
 Fiquei estarrecido com o artigo publicado por José Annes Marinho no suplemento Agricultura do Jornal Estado de Minas do dia 07/05/2012  dizendo que a sociedade só tem a ganhar com a produção de alimentos com o uso de agrotóxico. Não entendi usar veneno na agricultura é bom? É bom pra quem? Este senhor é patrocinado por alguma empresa? Ele diz no artigo que '' Há muitos fatos que levam pessoas a discorrerem e buscarem explicações, quase sempre, infundadas sobre esta tecnologia'' no caso leia-se Agrotóxico como tecnologia de produção de alimentos limpos segundo o nosso autor deste artigo.
Agrotóxico é acumulativo?  E as pesquisas que dizem dos malefícios, são terrorismo de eco xiitas? Este senhor deveria se envergonhar de dizer que agrotóxico é seguro e o pior é ele chamar veneno de defensivo...
Falar que as plantas não produzem sem agrotóxico é uma coisa, pois algumas espécies foram feitas para só produzirem com agrotóxico e adubo químico, mas dizer que isso é bom e que existe níveis de quantidades que podemos ingerir, devemos então pela visão deste senhor banir a propaganda contra o cigarro, afinal para o Engenheiro existe níveis aceitáveis de exposição ao tabaco, nicotina, arsênico existente no fumo.
Este engenheiro presta um desserviço ao povo brasileiro, onde somos campeões de uso de agrotóxico e não defensivo, alias foi a pressão da população é que proibiu o uso de DEFENSIVO pra se referir a AGROTÓXICO.
E as mortes pela exposição ao veneno? Seria mera fatalidade? Ou o não uso de EPI? francamente fiquei decepcionado com o Jornal Estado de Minas por permitir este respeitável doutor engenheiro escrever esta besteira no seu jornal.
Outa coisa absurda e ele defender veneno para baratear alimentos e o custo com a saúde onde fica?
Que coisa... depois reclamam da queda nas vendas de jornal. também com um artigo que defende o indefensável podemos acreditar em tudo até em teorias conspiratórias como a que sumiu com o livro O Futuro Roubado que fala sobre os agrotóxicos. Este livro desapareceu das prateleiras a editora não quer reedita-lo será porque? Falta de interesse do público em saber a verdade ou ocultação de provas voçê escolhe em quem acreditar. O autor do artigo que diz que é impossível produzir sem agrotóxico e as pesquisas feitas por pesquisadores independentes que dizem que o agrotóxico faz mal? e como fica a saúde do trabalhar rural, da fauna e da flora. Passarinho usa EPI?
Certa vez um amigo me disse que preferiria que seus filhos não estudassem a ser porta voz de campanhas a favor de substâncias nocivas ao meio ambiente. Concordo com ele e prefiro que o meu filho não faça curso superior se ele tiver que defender a industria da morte. Como este senhor que provavelmente estudou em instituições públicas com o dinheiro de contribuintes e que hoje não presta serviço ao povo brasileiro e sim a industria de agrotóxico e que nem o lucro fica aqui.